terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Sábado, Domingo e Segunda :-)

SÁBADO
Foi dia, ou melhor, foi noite de reviver o passado. Realizou-se um jantar de turma, do curso profissional que tirei entre 1995 e 1998 – Marketing – e conseguimos reunir 14 pessoas (embora tenhamos conseguido contactar muito mais).

Agradecemos ao Facebook que nos fez encontrar e reencontrar colegas de outrora. Éramos uns miúdos! Hoje vemo-nos casados, outros já divorciados. Uns têm filhos e outros estão a planear. As vidas profissionais são variadíssimas. Negócios próprios ou por conta de outrem… com mais ou menos aventura há quem tenha ido para terras de Vera Cruz.

Muitos sorrisos, muitas gargalhadas… recordar histórias antigas e patetices da adolescência. Foi muito bom!

DOMINGO
Foi o meu dia! Comemorei com família e amigos mais próximos um dos dias mais especiais para mim (sou muito infantil – adoro o meu aniversário – hihihhi). Foram 28 adultos e 4 crianças e 1 bebé. Muito copo cheio, muito prato variado e principalmente muitos sorrisos e boa disposição!

Foi bom, tranquilo, sem “filmes” nem os constrangimentos do costume. Tive muitos, muitos presentes de gaja: brincos, colares, roupa, guarda-jóias, langerie… Voltei para casa cheia de sacos e saquitos de coisa liiiindas para me enfeitar! Bem… Cheguei mesmo aos 30! Deixei de ser Gaja para passar a ser, oficialmente, Sra. D. Gaja – LOL.

Depois de almoço fomos para casa descansar um bocadinho. A Gajita preferiu ficar com os avós a brincar e acabou por ficar lá para 2ª feira.

O dia acabou com uma surpresa a dois, que incluiu jantar e cinema em 3D – Avatar, recomendo vivamente!

SEGUNDA-FEIRA
Foi o meu primeiro dia “no sítio novo”. Como já conheço muita gente de outros tempos na mesma empresa, a recepção foi muito boa e a integração ainda melhor.

O dia foi muito bom, apesar de bastante calmo não custou nada a passar. Há muito tempo que não me sentia assim, tão… tranquila :-)

A tarefa que me foi proposta é bastante simples. Chega quase a ser “Relações Públicas”… Afinal de contas, temos de puxar a brasa à nossa sardinha, não é? No caso até é à sardinha que quem me paga o ordenado – LOL.

Do “outro sitio” não sinto falta de nada nem de ninguém!

Das coisas tenho tudo aqui, e ainda mais. Tenho o normal: computador, telefone, secretária, economato blá, blá, blá… E ainda café e chá à disposição. As casas de banho têm um cheirinho a morangos com lixívia, característica das primeiras instalações desta empresa onde estive :-)

Das pessoas não sinto falta, mesmo! Das que não gosto até sinto alívio por não ter de as ver nem ouvir a sua voz irrrrrritante todos os dias. Das que gosto não sinto falta porque continuamos em contacto, algumas até estiveram presentes no Domingo.

Conclui-se assim que estou numa fase calma e serena que se reflecte positivamente em casa. Ando mais “disponível mentalmente”, a paciência transborda e a condescendência subiu uns dois ou três tracinhos do nível mínimo desejado.

Estou bem, portanto!

** Gaja //

6 Comments:

  1. Cláudia said...
    Mas que bem... olha vê lá se mandaste uma fatiazinha de bolo aqui para o pessoal :))

    Beijinhos e que os bons ares continuem por aí :)
    beedrill said...
    que bom , tudo corre melhor quando nos sentimos assim...espero que assim continue...beijos
    kel said...
    Só festarola, e que bem que sabe!
    Fico contente que esteja tudo a correr bem! que sejas muito feliz profissionalmente e te realizes tb pessoalmente nesse novo local. tudo de bom!
    beijcoas grandes
    Diário da Matilde said...
    Que fim de semana tão bom..só festas...:)

    Que continua tudo a correr bem

    Beijinhos
    Maria-e-Mamã said...
    Mas que boa maré linda...é tão bom quando nos sentimos bem no trabalho,parece que tudo muda,a disposição,em casa..muito bom mesmo!Beijocas
    Sandra V. Silva said...
    Ainda bem AMIGA1 Fico Feliz por ti. Bjs oh gaja boa.

Post a Comment



Todos pensam em deixar um planeta melhor para os nossos filhos...

....quando é que pensarão em deixar filhos melhores para o nosso planeta?

Uma criança que aprende o respeito e a honra dentro da própria casa e recebe o exemplo dos seus pais, torna-se um adulto comprometido em todos os aspectos, inclusive em respeitar o planeta onde vive.