sexta-feira, 30 de abril de 2010

Ridículo! Não encontro outra palavra...

ATENÇÃO: Post longo e chato... mas que é preciso!
- Reclamação à Segurança Social -

Exmos. Srs.

Hoje foi a gota de água! Não me posso conter mais e permitir que a SEGURANÇA SOCIAL continue a agir de forma negligente e ridícula! Posso dizer que no mínimo andam a brincar com o dinheiro do país!

Passo a expor as duas situação que tanto me indignam:

SITUAÇÃO 1
Recebi uma carta dos serviços da SEGURANÇA SOCIAL a informar que a minha filha está integrada no escalão quatro. Como não entendi a razão pela qual recebo esta comunicação optei por contactar o número 808266266 para mais esclarecimentos. Com este telefonema, tomo conhecimento que esta carta é “meramente informativa”. Presume-se que o ESTADO está cheio de dinheiro para gastar em envelopes e taxas de envio...

Como a dita carta “meramente informativa”, não informa nada ao comum mortal (que ignorantemente não sabe de cor o valor dos escalões de abono) questionei a que valor correspondia este escalão. A assistente indica-se o valor e diz ainda que recebo 4€a mais por ser mãe solteira.

Exclamo, imediatamente, que esse facto já não corresponde à verdade, pois casei-me em Novembro de 2007. Estou convicta que comuniquei aos serviços no início de 2008, quando fui tratar de outros assuntos . Contudo, ainda que não tivesse comunicado, solicitei à assistente na linha que cancelasse esses tais 4€, pois não são justos. Resposta: não podemos!

Como não pode?!?! Estou a pedir de o ESTADO que deixe de me pagar algo, que eu até nem tenho que receber, e não pode??? O que é que vai acontecer a seguir… vão, daqui a 10 anos, enviar uma carta fantástica a exigir o pagamento de centenas de euros? Nem pensar!!

Quero que a partir de agora, seja cancelado o valor que está a ser pago em excesso, e que o abono da minha filha seja suspenso até completar o valor pago a mais desde Novembro de 2007, que são 120€.

SITUAÇÃO 2
O meu marido esteve a usufruir do subsidio de desemprego durante alguns meses; a dada altura foi contratado e resolveu suspender respectivo subsidio.

Recebemos uma carta a informar que o meu marido teria usufruido do subsidio em simultâneo com o vencimento do novo emprego, e que devia liquidar determinado valor até uma data que estaria indicada na dita carta.

Acontece que a carta se perdeu. Não obstante, é de todo o nosso interesse pagar o que temos de pagar e cumprir com o dever de bons cidadãos. Ora o que é que eu fiz? Contactei a linha 808266266 para saber o valor exacto e uma referência multibanco para pagar. Resposta: não podemos! São dados confidenciais e tem de ser o próprio a ligar?

Tem de ser o próprio a ligar?!? A informação é confidencial?!?! Meus senhores… acordem!! Quantas pessoas vos contactam por dia a querer pagar ou devolver dinheiro ao ESTADO??!?!?

Então... e se eu pedir ao meu Colega para vos telefonar, ele diz que se chama Marido (e só porque tem voz grossa) já podem fornecer dados para PAGAR ao ESTADO um dinheiro que o próprio ESTADO PAGOU A MAIS?!?! Ridículo, meus senhores! Ridículo!

PERANTE O EXPOSTO PRETENDO:
1 - Cancelamento dos 4€ pagos a mais no abono da minha filha;
2 - Suspensão do mesmo até completar os 120€;
3 - Valor e forma de pagamento referente à "divida" do meu marido.

NOTA: A resposta deve chegar-me durante a próxima semana. Caso contrário, a situação será exposta à comunicação social no dia 10 de Maio de 2010 (segunda-feira).

Aguado resposta tão breve quanto possível.

Ai que nervoooosss!!!!

** Gaja //

2 Comments:

  1. Cenas de Gaja said...
    Sandra e Dinis disse... no post anterior:

    Pois essa da confidencialidade já sabia...

    E prontos é a Seg-social no seu melhor!!!

    Bjs

    30 de Abril de 2010 20:45
    Dama das Camélias said...
    Palavras para quê... Este país é incrivel!!!! Não gostamos tanto do nosso governo?!?!?? É RÍDICULO, claro!

Post a Comment



Todos pensam em deixar um planeta melhor para os nossos filhos...

....quando é que pensarão em deixar filhos melhores para o nosso planeta?

Uma criança que aprende o respeito e a honra dentro da própria casa e recebe o exemplo dos seus pais, torna-se um adulto comprometido em todos os aspectos, inclusive em respeitar o planeta onde vive.